Trabalhando por um futuro melhor!!

Nós temos  sistemas de geração de energia solar fotovoltaica, ideal para a suas necessidades.

São conectados diretamente a rede eletrica. Tem grande vantagem sobre o sistema Off-gird.  Pois seu excedente de energia gerada durante o dia vai para a concessionaria, criando um crédito de energia para o proprietário do sistema (resolução 482/ANEEL).

São sistemas de geração de energia autônomos, que não possuem conexão com a rede de distribuição elétrica. Podem ser com ou sem armazenamento elétrico. (banco de baterias)


 Se sim, é bem provável que a instalação de equipamentos de energia solar tenha passado pela sua cabeça. Os benefícios podem ser muitos, mas é preciso ter um direcionamento sobre os processos de compra, instalação e funcionamento da tecnologia. Para o sistema funcionar com toda sua potencialidade, alguns critérios precisam ser atendidos. Por isso, mostramos para você os pontos mais importantes na hora de obtê-la em sua casa.

Diariamente toneladas de energia chegam ao nosso planeta de forma gratuita e limpa. Os raios solares, além de trazerem a luz e o calor essencial para a vida na Terra, podem ser aproveitados para a geração de eletricidade. Como isto é possível? Através de uma tecnologia chamada fotovoltaica, ou seja, luz transformada em eletricidade.

O termo ‘Fotovoltaica’ é o casamento de duas palavras:

Foto = que tem sua raiz na língua grega e significa “luz” e

Voltaica = que vem de ‘volt’ que é a unidade para medir

o potencial elétrico.

Para fazer isto, são utilizadas células solares formadas

por duas camadas de materiais semi-condutores,

uma positiva e outra negativa. Ao atingir a célula,

os fótons da luz excitam os elétrons, gerando eletricidade.

Quanto maior a intensidade do sol, maior o fluxo de

eletricidade. O material mais comumente utilizado é o silício. Por ser o segundo elemento mais abundante da face da terra, não há limites com relação à matéria-prima para produção de células solares. A eletricidade gerada pelas células está em corrente contínua, que pode ser imediatamente usada ou armazenada em baterias.

A duração da incidência da radiação solar pode variar muito de local para local. Mesmo o Brasil sendo um país com pouca variação de radiação solar em seu território, existem locais em que é mais vantajoso o aproveitamento solar.

Com manutenção mínima, o seu sistema de energia solar pode continuar operando com Desempenho máximo durante décadas. Na verdade, muitas instalações solares da década de 1970 ainda estão gerando energia limpa e grátis para seus proprietários até hoje! Então energia solar é durável, e resistente o suficiente para resistir a condições climáticas extremas, até mesmo chuva de granizo.
 

Os painéis solares fotovoltaicos captam a irradiação solar e convertem em energia elétrica. Esta energia é gerada em corrente contínua, que não é compatível com a rede elétrica, sendo necessário um inversor de frequência para convertê-la em corrente alternada. Além disso, para registrar toda a energia que é injetada na rede elétrica, o medidor convencional da unidade consumidora é substituído por um medidor bidirecional, que vai ler a energia que entra da rede para o cliente e a energia que o cliente injeta na rede.

A energia solar gerada é pode ser consumida instantaneamente  pelos equipamentos da residência e/ou escritório comercial. Nas plantas conectadas à rede, caso a geração de energia solar exceda o consumo (isso pode ocorrer durante o dia, onde temos maior irradiação solar), este excedente de energia é injetado na rede elétrica, retornando ao consumidor em forma de créditos de energia na conta de luz. Este sistema de compensação de créditos é uma novidade no mercado e só foi possível após a resolução 482 da ANEEL de abril de 2012.

Anteriormente eram utilizadas baterias para armazenar este excedente e poder usufruir da energia solar num período noturno, por exemplo, quando não há geração solar. Hoje podemos eliminar o uso das baterias e usar a rede elétrica para armazenar o excedente e poder usufruir da energia solar em qualquer horário.

Os sistemas fotovoltaicos podem ser de diversos tipos:

Você já pensou em produzir e consumir energia elétrica de forma mais sustentável?

Bons motivos para instalar
um microgerador em minha casa,
empresa ou indústria

 

O custo da eletricidade tem aumentado ao longo do tempo, enquanto o valor para instalar sistemas fotovoltaicos faz o caminho inverso, diminuindo anualmente. Com a nova regulação da ANEEL, que permite a injeção de energia na rede em troca de créditos em kWh na conta de luz, a geração descentralizada de energia fotovoltaica tornou-se uma opção interessante para consumidores residenciais de quase todo o Brasil.

Esse tem se tornado um investimento cada vez mais atrativo, porque, após recuperar o investimento inicial, você terá economias significativas no longo prazo. Lembre-se que um sistema fotovoltaico gera energia por pelo menos 25 anos, e sua conta de luz poderá ser reduzida para o valor mínimo.

Além disso, você contribuirá para reduzir o impacto ambiental de sua casa, empresa ou indústria. Ao consumir a energia que é gerada em sua propriedade, você elimina as perdas ocorridas na transmissão e distribuição. Quando você não está consumindo, a energia gerada e injetada passa pela rede da distribuidora e é utilizada por seus vizinhos.

Outra vantagem é a valorização de seu imóvel, pois essa é uma tecnologia bastante inovadora no Brasil.

Microgeradores e minigeradores solares fotovoltaicos (FV)

são sistemas de geração elétrica de pequena potência, normalmente instalados para produzir energia suficiente para alimentar uma casa, um edifício ou, até mesmo, um galpão de uma indústria.

Microgeradores são sistemas com potência de até 100 kW,
e minigeradores, acima de 100 kW e até 1 MW, segundo a Resolução Normativa 482/2012 da ANEEL.

 Sistemas Fotovoltaicos

Não confunda, energia solar térmica com energia solar fotovoltaica!

 

Na solar térmica, a energia do sol é transformada em calor e é utilizada para o aquecimento de água em residências, hotéis, clubes, etc.Neste caso, são usados COLETORES solares.

Na solar fotovoltaica, a energia é diretamente convertida em eletricidade e, neste caso, são usados MÓDULOS solares.

Os sistemas fotovoltaicos podem ser de diversos tipos:

1)      Conectados à rede – Este é o tipo mais popular de instalações PV, normalmente sobre o telhado de casas e escritórios, e no qual é necessário a presença de um inversor, para transformar a energia em corrente contínua para corrente alternada. A energia gerada pelos painéis é entregue a rede elétrica convencional.

2)      Isolados – Instalado em áreas de difícil acesso a rede elétrica, normalmente zonas rurais, neste caso a energia fotovoltaica é a única fonte de eletricidade e é necessário algum armazenamento, como baterias.  Tais sistemas podem ser de geração apenas para uma residência ou pode ser instalado em mini-redes para atender uma pequena comunidade.

3)      Híbridos – a geração fotovoltaica funciona em conjunto com outros, como geradores eólicos ou diesel. Considerados mais complexos, tais sistemas exigem um controle capaz de integrar as diferentes formas de geração de energia. Estes sistemas podem estar conectados a rede, isolados ou ter o apoio da rede.

4)      Usinas solares – Estes sistemas, também conectados à rede, produzem uma grande quantidade de eletricidade em um único ponto. O tamanho da usina varia de centenas de quilowatts a megawatts. Algumas destas instalações estão sobre grandes edifícios industriais ou no solo próximo a indústrias que exigem um consumo intenso de energia.

5)      Aplicado em bens de consumo – as células fotovoltaicas podem ainda ser aplicada em diversos equipamentos elétricos, como relógios, calculadoras, brinquedos, carregadores de bateria ou telhados solares para carregar carros elétricos.  Outras aplicações incluem sistemas de irrigação, sinalização em rodovias, postes públicos ou telefones públicos.